CRUZETAS, ACESSORIOS E COMPONENTES

BASTÃO-GARRA

É geralmente utilizado para segurar e afastar os condutores energizados de suas posições originais. Permite aos eletricistas a manutenção em cruzetas, isoladores, na retirada e recolocação de postes e ferragens, como também à instalação de novos componentes, como pára-raios, em linha aéreas.

Esse bastão é utilizado, usualmente, e em pares ou em conjunto com outras ferramentas complementares como: selas; colares; colarinhos; moitões. Todas especialmente planejadas para um serviço rápido e seguro.

Construído com tubo RITZGLAS® e com ferragens em liga de alumínio (para uma melhor relação resistência mecânica e leveza), o olhal giratório em aço possui rolamento, permitindo uma rotação perfeita e suave.

A variação da abertura do mordente do bastão-garra permite a fixação no condutor de forma firme e segura, através do giro do bastão, até o completo fechamento do mordente.

O RH4647-16 é seccionável, o que torna fácil o seu transporte.
A conexão entre as duas partes é feita através de uma emenda metálica, em aço galvanizada e fixada, com pino de aço e contrapino do tipo alfinete.

Os diagramas apresentam uma correta orientação do uso dos bastões- garra através das quatro configurações mais utilizadas e suas respectivas cargas de trabalho.

O eletricista deve observar rigorosamente as distâncias de segurança, durante a utilização dos bastões de linha viva, de acordo com as respectivas tensões recomendadas na tabela existente no início deste catálogo.

Fig. 1 - Bastões-Garra com selas, colar com argola e moitões para afastamento do condutor.

Fig. 2 - Bastões-Garra com selas, colarinho para moitão e moitão para afastamento do condutor.

Fig. 3 - Bastões-Garra, sela de elevação, bastão de tração com Torniquete e moitão usados para afastamento de condutores pesados.

Fig. 4 - Conjunto para elevação das três fases em que todos os três condutores são levantados simultaneamente.

ADVERTÊNCIA

CARGAS DE TRABALHO - Para a correta seleção das ferramentas deve- se utilizar as informações de carregamento da estrutura. Já quando não for possível obter esses valores, toda a estrutura de trabalho deverá ser analisada antes da aplicação da carga.

Quando os cálculos não são possíveis (exemplo: quando um poste é ligeiramente maior que o seu adjacente) basta considerar o peso total dos vãos adjacentes como a carga máxima de trabalho. Isso não se aplica em estruturas instaladas em pontos elevados, o que requer análises especiais para a determinação de carga.

Se a carga de trabalho for maior do que a indicada na tabela (para um bastão especificado) deverão ser utilizados dois bastões-garra, com a sela de elevação dupla, ou então usar um bastão-garra com Ø maior.

COLARINHO PARA MOITÃO

São instalados no bastão-garra para serem usados como ponto de tracionamento pelo moitão, permitindo a articulação desses bastões por ocasião do afastamento e posterior aproximação do condutor.

Para assegurar um isolamento efetivo entre o moitão e os condutores energizados, o colarinho deve ser instalado no bastão a uma distância mínima de acordo com a sua classe de tensão ou mais distante.

Essa ferramenta é construída em quatro Ø distintos, sendo o anel de contato direto com o bastão em liga de alumínio, que permite a rotação livre do bastão, uma vez fixado ao mesmo, através de dois parafusos. O olhal para içamento é construído em liga de bronze e possui uma articulação para acompanhar a ferramenta de tração em relação ao bastão.

COLAR COM ARGOLA

Utilizado como ponto de fixação para tracionamento do bastão-garra, com auxílio de um moitão, que é conectado ao olhal do colar com argola. Esse arranjo alinha as forças de tração, com o bastão-garra, auxiliando no içamento de condutores pesados de volta à sua posição original.

O colar é construído em liga de alumínio, sendo a argola deste o parafuso de aperto e a porca borboleta em liga de bronze.

As paredes internas do colar são revestidas com lâmina de aço inoxidável, protegendo a superfície do bastão contra danos mecânicos.

O colar é constituído de duas metades, que são abertas para acoplamento e fixação ao bastão através do aperto da porca borboleta instalada em uma das abas do colar.

O dispositivo com porca borboleta possui mola que torna fácil, rápida e segura a operação do colar.

COLARINHO PARA BASTÃO

Ferramenta importante no arranjo de dois bastões-garra para movimentação do condutor.

É instalado no corpo do cabeçote do bastão-garra, que está acoplado ao condutor. Já o outro bastão-garra é acoplado à alça do colarinho, formando um conjunto articulável. Assim, o colarinho evita que dois bastões-garra, conectados sobre o mesmo cabo condutor, cause torção ou mesmo rompimento deste.

Essa ferramenta é construída em quatro Ø distintos, sendo o anel de contato direto com o bastão e em liga de alumínio, que permite a rotação livre do bastão uma vez fixado ao mesmo através de 04 parafusos/porcas.

As alças circulares são construídas em liga de bronze e a manilha em liga de alumínio, além de serem interconectadas com um parafuso de aço para acompanhar as articulações dos bastões.

SELA E COMPONENTES

Esta ferramenta é utilizada como ponto de acoplamento de bastões, moitões ou mastros, permitindo o afastamento dos bastões em relação ao poste. Caso seja necessário, um espaço adicional pode ser obtido com o uso do extensor (RC400-0073).

Elas são acopladas ao poste através de um esticador de corrente e o ajuste final é realizado pelo volante giratório.

Construída em liga de alumínio e tratada termicamente para atender às exigências de carga de trabalho e leveza no manuseio.

Entre os modelos disponíveis estão: as selas com colar; com extensor e colar; com manilha e com extensor e manilha.

A sela para poste sem extensor possui uma capacidade de carga de trabalho de até 454 daN (1000 lb) e, com a instalação do extensor, sua capacidade de trabalho reduz para até 363 daN (800 lb).

Já a sela para cruzeta (RM4744) é usada quando o espaço de trabalho é reduzido ou quando está congestionado com uma sela para poste ou mais.

A manilha instalada no corpo dessa sela, por sua vez, proporciona uma liberdade de movimentos e permite que o bastão-garra mova-se livremente em qualquer direção.

Pode ser usada em cruzetas de 76 x 108 mm e 102 x 203 mm com a carga máxima de trabalho de 227 daN (500 lb).

O esticador de corrente (RM1848-W) facilita e permite a instalação das selas, impedindo o seu deslizamento ou movimentação excessiva, mantendo-a firme em seu local.

O comprimento da corrente do esticador pode ser aumentado, com o uso da extensão de corrente (RM1847, RM1847-3, RM1847-4), para ser utilizada em postes com diâmetros maiores.

Já a sela simples de elevação (RM4760-W) é utilizada em estrutura “H” ou quando o espaço de trabalho no poste é limitado. Essa sela é equipada com uma alça e pino para conexão do moitão e bastão-garra, respectivamente, permitindo o movimento livre de ambos.

Quando necessário utilizar duas selas, elas podem ser instaladas praticamente na mesma altura, uma em cada lado.

Há também um adaptador (RM4760-2), que converte a sela simples em sela dupla de elevação, possibilitando a instalação de dois bastões.

Essas selas são construídas em liga de alumínio, leves e fáceis de manusear. Permitem uma elevação até 527 mm nos condutores e suportam todos os modelos de bastão-garra.

A sela simples de elevação RC400-1016 (com tubo isolante RITZGLAS®) tem a mesma aplicação da sela de elevação em liga de alumínio, porém, utilizada normalmente em sistemas de transmissão, com tensões mais altas, em que é necessário mais espaço para elevar os condutores.

Construída com tubo RITZGLAS® Ø 51 mm e comprimento 915 mm, com a mesma capa-cidade de carga das selas de elevação em alumínio: 454 daN modelo simples e 340 daN modelo duplo.

Essa ferramenta propicia uma elevação total do condutor de até 915 mm.

O adaptador para sela (RM4760-2) está disponível também para essa sela.

A sela de amarração de corda (RM1846-W) é uma ferramenta simples e prática de ser utilizada, pois impede o embaraçamento indevido das cordas. Ela é acoplada ao poste através do esticador de corrente e possui seis anéis onde as cordas podem ser amarradas. Construída em liga de alumínio leve, possui 915 mm de corrente de aço e capacidade nominal de trabalho 454 daN (1000 lb).

A fixação de olhal (RM4740-14) é utilizada para acoplar o olhal da base do bastão-garra a uma sela para poste quando este tem a função de braço do conjunto de elevação, permitindo que o bastão possa exercer movimentos de rotação para conectar ao estribo no conjunto de elevação.

O parafuso sela para poste de concreto (RM4740) tem a mesma função da sela (para poste), porém, para uso exclusivo em acoplamento de mastros ao poste de concreto duplo “T”.

De instalação simples e prática, essa ferramenta é inserida em um dos furos do poste e presa com porca borboleta. Construído em aço galvanizado, acoplamento e porca borboleta em liga de bronze, possui comprimento total de 295 mm.

Os colares são versáteis e de grande utilidade, seja nos trabalhos em distribuição, seja nos trabalhos em transmissão, pois permitem a fixação do bastão em arranjos com outras ferramentas previamente instaladas na estrutura.

São construídos em duas metades em liga de alumínio, com parafuso de aperto e porca borboleta em liga de bronze.

As paredes internas dos colares são revestidas com lâmina de aço inoxidável, a fim de proteger a superfície do bastão contra danos mecânicos.

SELA PARA ESTRUTURA METÁLICA

São utilizadas para sustentar o bastão-garra, lança, mastro, moitão ou talha para locomoção de cadeias de isoladores na estrutura metálica.

São acopladas firmemente nas abas das cantoneiras das estruturas metálicas através de parafusos e garras com porca borboleta.

Sela Comum

A RM4742 possui uma manilha de bronze instalada no corpo da sela, que, através de um acoplamento giratório, permite a ancoragem do moitão.

Os modelos RM4742-1 a RM4742-4 possuem colares com diâmetros variados para acoplamento aos bastões de forma segura e favorável em qualquer ângulo.

 

A RT400-1413 é semelhante à RM4742, diferenciando-se apenas no tamanho das garras, que foram projetadas para abas de cantoneiras maiores em estruturas metálicas de maior porte.

Sela Leve

Possuem as mesmas características da sela comum. Entretanto, são fabricadas em liga de alumínio, o que as tornam mais práticas e fáceis de serem instaladas.

As selas comuns podem ser integralmente substituídas pelas selas leves

CONJUNTO DE ELEVAÇÃO

Foi projetado para uso em substituição de postes, cruzetas ou isoladores. Como todas as ferramentas RITZGLAS® ele é leve e fácil de montar. Em construções normais ou cruzetas excêntricas essa ferramenta pode ser empregada como braço lateral.

As presilhas podem ser deslocadas para minimizar a distância de transposição dos condutores desde os isoladores até esse conjunto, pois essa ferramenta é suficientemente dimensionada para utilizar como braço elevador, usando três bastões-garra.

NOTA

Quando usar o conjunto de elevação (com tensões superiores a 15 kV) ou quando tiver que suportar condutores energizados sob chuva ou com probabilidade de chuva, recomenda-se a instalação de isoladores (RM4805-7) ao conjunto de elevação sob as presilhas para aumento da distância de escoamento.

É recomendável passar um tecido para tratamento superficial de bastões isolantes (RM1904) no bastão do conjunto de elevação quando este permanecer instalado à noite ou com probabilidade de chuva.

O conjunto de elevação é composto pelas seguintes ferramentas:

  • 01 bastão RITZGLAS® com Ø 64 mm conjugado a uma sela para fixação ao poste através de esticador de corrente;

  • 03 presilhas de elevação (formato forquilha), com abertura de 25,4 mm (1”) sem isolador (RM4805-17);

  • 02 estribos para mão francesa (RC400-0331);

  • 01 cabeçote olhal com isolador (RC400-0562)

Ferramentas necessárias para esses tipos de montagens:

BRAÇO LATERAL


- 01 bastão-garra RH4647-12 (A)
- 02 bastões-garra RH4646-8 (B)
- 01 sela com ext. e colar 64 mm RM4740-18W (C)
- 01 sela com fixação de olhal RM4740-15W (E)
- 01 sela com ext. e colar de 51 mm RM4740-17W (F) - 01 moitão duplo RC400-0914 (G)
- 01 colarinho para moitão RM1729-1 (H)

Ferramentas necessárias para esses tipos de montagens:

BRAÇO LATERAL


- 01 bastão-garra RH4647-12 (A)
- 02 bastões-garra RH4646-8 (B)
- 01 sela com ext. e colar 64 mm RM4740-18W (C)
- 01 sela com fixação de olhal RM4740-15W (E)
- 01 sela com ext. e colar de 51 mm RM4740-17W (F) - 01 moitão duplo RC400-0914 (G)
- 01 colarinho para moitão RM1729-1 (H)

APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS

  • -  RE400-0008 (1-1/2” sem isolador) / RM4805-15 (1” com isolador)

  •  RE400-0009 (1-1/2” com isolador) / RM4805-17 (1” sem isolador)

Essas presilhas possuem aberturas de 25,4 e 38 mm (1” e 1-1/2”) e um dispositivo contrabalanceado, que fecha automaticamente com a introdução do condutor e que deve ser revertido para liberar o condutor.

Essas ferramentas, com ou sem isolador, possuem também um colar com Ø 64 mm para acoplamento na cruzeta do conjunto de elevação.

• RC400-0331 (Ø 64 mm)

Equipamento que pode ser adquirido separadamente como peça de reposição ou para ser adicionado ao equipamento existente. Serve como ponto de acoplamento dos bastões-garra, usados como mãos francesas do conjunto de elevação através de seu colar. Além de ser de fácil instalação é construído em liga de alumínio.

- RM1728-5

É utilizada para fixar o bastão-garra (que está na vertical como mastro que suporta o conjunto de elevação) aos olhais dos bastões-garra, que atuam como mãos francesas do conjunto.

Construída em liga de alumínio, as duas metades da cinta formam uma só peça, unidas por dois parafusos olhais.

Capacidade nominal de Trabalho: 454 daN (1000 daN)

- RC400-0562 - FLV00714-2

É específico para utilização no arranjo de levantamento simultâneo do conjunto de elevação.

CRUZETA AUXILIAR

As cruzetas auxiliares RH4862-6, RH4862-8 e RH4862-51 são utilizadas para operações de substituições de cruzeta, isoladores ou postes em vãos curtos de rede aérea de média tensão até 15 kV fase/fase. É necessário complementar com duas selas (RM4740-5W) para instalar o mastro da cruzeta auxiliar ao poste. As selas devem ser adquiridas separadamente.

Possui capacidade de carga de 272 daN (600 lb), com os quatro condutores em equilíbrio e de 68 daN (150 lb), em cada presilha, na condição desequilibrada.

EXTENSÃO DE CRUZETA

São destinadas para tensões até 15 kV e, normalmente, são utilizadas para a troca de condutores ou isoladores. Porém, também podem ser empregadas em tensões até 34,5 kV desde que sejam instalados os isoladores (RM4805-7) nas presilhas.

É uma ferramenta acoplada sob a cruzeta de forma que aproximadamente 3/4 de seu comprimento exceda essa cruzeta, a fim de permitir a transposição dos condutores para as suas presilhas.

SUPORTE PARA CRUZETA AUXILIAR PARA 
CESTO AÉREO 

Permite uma operação rápida e segura, com o auxílio de um cesto aéreo, para substituição de cruzetas, isoladores ou postes em vãos curtos de redes aéreas energizadas até 34,5kV.

Dispõe de colares para adaptação e regulagem de cruzetas auxiliares de tubos Ø 64mm. É também adaptável em diversas seções quadradas ou retangulares de cestos aéreos.

Sua instalação e remoção é simples e a ferramenta pode ser facilmente armazenada e transportada por se tratar de uma solução compacta e leve para o tipo de operação a qual é destinada.

SUPORTE TEMPORÁRIO

• RC400-0517

O suporte para condutor pode ser acoplado às cruzetas, com tamanhos 82 x 102 mm a 152 x 152 mm. O grampo em formato “C”, bem como a presilha, é construído em liga de alumínio tratada termicamente e fixo ao tubo RITZGLAS®. Pode ser instalado à distância, com o bastão de manobra, e a sua capacidade nominal de trabalho é 68 daN (150 lb).

• FLV30058-1

O bastão suporte para condutor (utilizado para elevar cabos condutores através de seu cabeçote superior pela presilha de elevação) é adaptável às cintas metálicas de postes através de suporte com uma lâmina inferior.

• RC400-1509 / RH4809-W

São utilizados para sustentar os condutores energizados de distribuição durante a substituição dos postes, reparos ou substituição de isoladores de pino ou topo.

São equipados com esticador de corrente para fixação ao poste, com Ø acima de 356 mm, e presilhas de elevação para condutores até Ø 25,4 mm (no caso do RC400-1509, com duas unidades, e no caso do RH4809-W com uma unidade).

Quando usar o suporte temporário, com tensões superiores a 15 kV, ou quando tiver que suportar condutores energizados sob chuva (ou com probabilidade de chuva), recomenda-se a instalação de isoladores (RM4805-7) como proteção adicional.

Capacidade nominal de trabalho em cada presilha: 68 daN (150 lb).

• RT400-1939 / RT400-1940

Esses dois modelos de suportes temporários possuem as mesmas funções dos modelos RC400-1509 e RH4809-W. A diferença é o sistema de fixação ao poste, que nesse caso é feito por esticador de tirante de náilon (RT400-2007).

As mesmas recomendações para o uso do Isolador (RM4805-7) e a carga nominal de trabalho prevalecem também para esses dois modelos.

• RT400-2272

O suporte para a troca de isoladores foi projetado para aplicações especiais na troca de isoladores de distribuição, cujos condutores estão instalados em ângulo.

Utilizado em combinação com a talha, com tirante de náilon, ele sustenta o condutor sob tensão mecânica durante a troca do isolador e auxilia o retorno do condutor ao seu local de origem.

Com essa ferramenta não há necessidade de recorrer à instalação de coberturas circulares ou de lençóis no poste para isolar a talha.

Para isolar a talha, com tirante de náilon, são utilizados dois bastões isolantes (RC400-1175 ou RC400-2399 ou RC400-2400), conectando seus ganchos nos esticadores de cabo e seus olhais nos ganchos da talha.

BASTÃO DE TRAÇÃO COM TORNIQUETE

É utilizado em estruturas de ancoragem em ângulos como isolamento entre moitões e esticadores de cabos. As cargas dos condutores em grandes vãos e estrutura tipo “H” às vezes excedem as capacidades seguras para o bastão-garra. Para suplementar o bastão-garra, fixe o bastão de tração com torniquete no condutor. Esse bastão é utilizado também para suportar o condutor central nas estruturas tipo “H” durante a troca de isoladores ou cruzetas.

Construído com tubo isolante RITZGLAS® e com ferragens em liga de alumínio, para uma melhor relação resistência mecânica e leveza, o olhal giratório possui rolamento, permitindo uma rotação perfeita e suave. As bordas do mordente dessa ferramenta são arredondadas para impedir danos aos condutores.

Para atender uma maior demanda de tarefas, que exigem cargas ou variedades de bitolas de condutores, essa ferramenta é construída em quatro tamanhos de cabeçotes e variações nos comprimentos dos tubos.

BASTÃO TRAÇÃO ESPIRAL

É utilizado em situações em que as áreas de trabalho na estrutura possuem espaços reduzidos para o eletricista instalar o bastão de tração com torniquete com segurança. Um olhal próximo ao gancho espiral permite o eletricista instalar o bastão de tração espiral no condutor, com auxílio de um bastão de manobra.

É construído com tubo RITZGLAS®, gancho em formato espiral em aço especial, galvanizado à quente, resistente e próprio para as cargas de trabalhos exigidas para condutores com bitolas até 1510,5 kcmil CAA (Ø 38 mm aprox.) e cabeçotes em liga de alumínio.

O olhal giratório possui, ainda, rolamento para uma rotação suave.

banner_rodape.jpg
CONTEÚDO

D'ASSIS COMÉRCIO DE MATERIAIS ISOLANTES LTDA ME © Todos os direitos reservados. 2018